Marca de alcance mundial, Golden Tulip renova conceito exaltando lado divertido das viagens

Tomás Ramos, diretor Comercial e de Marketing, e Patrick Vaysse, diretor de Operações, representaram o BHG antecipando as novidades da marca (foto: Filip Calixto)

“Divirta-se em todo o tempo”. O lema poderia encaixar-se como peça promocional para qualquer parque de diversão mas, dessa vez, não é o caso. A frase, com algumas variações, foi o tema escolhido pela marca Golden Tulip para orientar a renovação de conceito que seus hotéis ao redor do mundo empreendem nos próximos meses. A remodelação consiste num conjunto de mudanças que passa pelo atendimento e impacta diretamente na organização e na estrutura das 190 unidades da bandeira. Para explicar melhor os desdobramentos desse plenajemento, o BHG (Brazil Hospitality Group), que representa a marca no País, apontou o que de principal deve acontecer na renovação.

“Embora estejamos falando de hotéis com perfil corporativo, que atendam, principalmente, viajantes em ocasiões de trabalho, não precisamos fazer uma hotelaria séria, ‘quadrada'”, antecipa Tomás Ramos, diretor Comercial e Marketing da BHG, justificando as causas da transformação. Todos os elementos envolvidos no movimento de mudança podem ser encontrados numa nova identidade, que foi baseada no conceito Bleisure – uma combinação das palavras business e laisure, que significa a combinação de uma viagem de negócios com uma de lazer.

Tal identidade começa a fazer sentido já com a criação de um novo logotipo e ganha corpo com a introdução de maneiras diferentes para atender o hóspede, retrofit em áreas comuns e apartamentos e, sobretudo, com a implantação de mais tecnologia na experiência de hospedagem.

As mudanças foram pensadas para a geração Millenial, formada por jovens de idade entre 16 e 35 anos, que busquem experiências a partir da integração de serviços, transformando assim a viagem de negócios em entretenimento. “São os hóspedes dessa geração os atuais tomadores de decisão e são eles também a maior representação do viajante a trabalho na atualidade, pelo menos dentro dos nossos hotéis. São pessoas conectadas que querem facilidade, interação com as marcas e entretenimento associado ao mundo dos negócios, aproveitando para transformar a viagem motivada por uma reunião em lazer”, pondera o diretor.

O perfil e a conduta do público pretendido foram mistérios desvendados pela companhia depois de uma pesquisa que levou mais de um ano para ser concluída e que tem no Brasil a primeira ocasião para ganhar publicidade. Por aqui, os impactos da novidade vão reverberar nos 16 empreendimentos da marca e em outros 16 da bandeira parceira, Tulip Inn – mas em menor proporção.

O hotel de Natal, localizado na praia de Ponta Negra, será o primeiro a receber mudanças pertinentes à nova configuração. Aos poucos isso ocorrerá em outras unidades até que, em 2020, todos os estabelecimentos da chancela já estejam de acordo com o novo padrão. As obras de adequação serão realizadas, num primeiro momento, em questões mais visuais como em uniformes e áreas comuns e, no ato seguinte, começam a acontecer em obras mais profundas. Tudo já está orçado e dentro de um cronograma feito pela rede.

“Os produtos, uniformes e itens de beleza, também receberão um novo ar, mais moderno e em linha com a proposta e o novo conceito. Será uma nova roupagem completa, com staff vestido nas cores da marca, da governança à recepção, num visual moderno e descontraído”, acrescenta Patrick Vaysse, diretor de Operações do BHG.

O certo é que todo o arranjo feito em torno do novo Golden Tulip visa tranformar o hotel em um local para lembranças memoráveis, para experiências que permaneçam como recordação e sempre sugerindo que o hóspede compartilhe o que está vivendo com outros clientes do lugar.

Detalhes
No que há de novo para os Golden Tulip, o lobby passa a ser o centro do hotel, o local mais importante. Nele, a empresa quer que os hóspedes convivam numa espécie de ponto em comum unindo vida pessoal e profissional. Outros locais que sugerem aproximação e convivência são bar e restaurante. Nesse há ainda a promessa de pratos e bebidas a preços razoáveis, quabrando o paradigma de preços exorbitantes que a hotelaria pratica em alguns momentos.

As áreas de convivência são complementadas pelo centro de convenções pelo chamado wellness, que é o terreno para diversão, em algumas unidades deve oferecer aulas de pilates, yoga e similares.

Último passo no cronograma de reformas, os quartos também serão revitalizados ganhando movéis que se deslocam, cores mais vivas e fazendo da cama a protagonista do ambiente.

Um aplicativo para interagir com qualquer hotel da marca e o chamado Amenitie Bar, com itens de higiene e suvenires do hotel, também estão no combo de novidades.

Fonte: Hôtelier News – O Site da Hotelaria

%d blogueiros gostam disto: