Confira 5 opções de lazer para se ‘aquecer’ em Monte Verde, MG

Distrito é um dos destinos mais requisitados da região durante o frio. Passeios e degustações integram lista preparada pelo G1.

alta temporada do turismo de inverno no Sul de Minas só começa em maio, mas a queda de temperatura que ocorre com a chegada de outono já é um convite para passeios e atividades típicos das estações mais frias. Em Monte Verde (MG), distrito de Camanducaia (MG) que fica a 166 Km de São Paulo (SP), hotéis, pousadas e restaurantes costumam oferecer serviços especiais e com preços que chegam a ser até 20% mais baratos em relação aos períodos de maior movimento.

Monte Verde está localizada a 1.600 metros de altitude, na Serra da Mantiqueira. A vila, como é conhecida por seus cerca de 5 mil moradores, recebe o visitante com sua arquitetura em estilo europeu, resquício da origem dos fundadores, vindos da Letônia. Segundo a Associação de Hotéis e Pousadas do distrito (AHPMV), há 170 hotéis e pousadas, com capacidade para atender até 5 mil visitantes.

Gastronomia de Monte Verde trabalha com produtos locais e culinária de diversos países (Foto: Daniela Ayres/G1)

Circuito gastronômico

A gastronomia de Monte Verde responde por 42% da renda do distrito e 8% da arrecadação de Camanducaia, conforme dados de 2015 da Secretaria Municipal de Turismo, e tem como uma das principais características, a produção artesanal para uma cozinha bastante eclética. São pelo menos 60 restaurantes e bistrôs, que oferecem desde a mais tradicional comida mineira e caseira até requintados pratos da culinária internacional.

Na mesma avenida, é quase possível escolher por qual lugar o paladar vai “viajar”. Em um dos charmosos bistrôs, um chefe pode trazer um prato tipicamente francês com um toque da culinária local, como o pato confitado da chefe Sônia Kohen. E logo ali pertinho, uma releitura de Aparecida Pereira Lemos dá novos sabores para o tão conhecido leitão à pururuca.

Em comum, todos têm o frescor de algum alimento produzido bem pertinho das cozinhas. Monte Verde já conta com produções de lavanda, azeite, verduras, bebidas, geleias e doces. O pinhão, abundante na região, é aproveitado até em receitas de chocolate. Há até criações de trutas.

 

Monte Verde possui cervejaria artesanal e empórios cervejeiros com variedades internacionais (Foto: Daniela Ayres/G1)

Circuito cervejeiro

Para quem gosta de experimentar cervejas artesanais, Monte Verde possui uma cervejaria com produção própria e na qual é permitido conhecer o processo de fabricação dos cinco tipos disponíveis. Há outros dois empórios que oferecem o melhor das cervejas artesanais produzidas no Brasil e no mundo- uma verdadeira viagem de degustação e história para quem aprecia a bebida fermentada que chega a ser produzida por fábricas que remontam ao século 11.

 

Na baixa temporada, hospedagem em hotéis e pousadas pode sair até 20% mais barata em Monte Verde, MG (Foto: Daniela Ayres/G1)

Passeando por Monte Verde

Um “city tour” custa em média R$ 180 por casal, com carro exclusivo. Nesse roteiro, o visitante é guiado pelos principais pontos do distrito, como a fábrica de chocolate, a galeria de artes, a fábrica de chocolates e a Pedra Redonda, que fica a mais de 1.900 metros de altitude e de onde é possível ter uma vista de 360° da região. O passeio dura 3h.

Circuito ‘Radical’

E para quem busca adrenalina, o distrito possui uma fazenda com equipamentos voltados para o esporte de aventura, com alternativas para as crianças também.

Andar nas tirolesas, a 70 metros de altura e em um percurso que varia de 450 a 475 metros, custa R$ 65 por pessoa. A versão infantil sai por R$ 20. A travessia é feita por um vale com 360° de vista. Já quem prefere a prática de arvorismo tem à disposição um circuito com 9 estações e 10 pontes suspensas interligadas por um sistema de cabo contínuo até a tirolesa. A diversão sai a R$ 45 por pessoa.

Uma volta de quadriciclo por um percurso de 13 km sai a R$ 120 por casal. O passeio chega a durar 1h. É possível ainda ter aulas sobre as técnicas de treinamento de aves de rapina. O curso de falcoaria custa R$ 40 por pessoa.

 

Passeio de quadriciclo é opção em Monte Verde para quem gosta de esportes radicais (Foto: Samantha Silva/G1)

Circuito histórico

Pela área rural, o turista é levado a uma das fazendas históricas da região que, além de cachoeiras, espaço para prática de esportes de aventura e almoço caseiro, feito no fogão à lenha, possui um museu com peças que têm mais de 100 anos. O passeio dura em média 4h30 ao custo de R$ 300 por pessoa. Há ainda a opção de fazer o roteiro de quadriciclo e de veículo 4 x 4.

Festivais

O distrito realiza diversas atividades culturais e de lazer durante o ano. Na alta temporada, há o festival de inverno, entre os dias 1 e 29 de julho. Já na baixa temporada, o destaque para este ano é o festival gastronômico, entre os dias 18 e 29 de outubro. Durante o festival gastronômico, há menu degustação e os restaurantes são desafiados a criaram um prato temático. Oficinas e palestras também são realizadas com chefes de cozinha renomados.

Monte Verde oferece trilhas para todos os tipos de turistas (Foto: Divulgação)

De São Paulo a Monte Verde: siga pela Via Dutra m direção a Guarulhos (SP) e acesse a Rodovia Fernão Dias na altura do km 13 até Camanducaia.

Partindo de Campinas (SP): o trajeto começa pela Rodovia D. Pedro I em direção a Jacareí (SP); depois entre à esquerda na Rodovia Fernão Dias, no sentido Belo Horizonte, até chegar a Camanducaia.

Saindo do Rio de Janeiro (RJ): siga pela Via Dutra até Jacareí (SP), entre na Rodovia D. Pedro I e, em Atibaia (SP), entre à direita na Rodovia Fernão Dias, continuando até Camanducaia.

De Belo Horizonte (MG) para Monte Verde: saída pela Avenida Amazonas, sentido São Paulo, até Camanducaia.

Fonte: Confira 5 opções de lazer para se ‘aquecer’ em Monte Verde, MG | MG / Sul de Minas / Turismo | G1

%d blogueiros gostam disto: