Brasileiros voltam de viagem depois de susto em montanha na Argentina

Grupo ficou 26 horas preso após desmoronamento de pedras.Emoção e alívio marcaram retorno da excursão a Sorocaba, neste sábado.

Turistas comemoraram chegada em Sorocaba após 21 dias de viagem  (Foto: Mayara Corrêa/G1)Turistas comemoraram chegada a Sorocaba após 21 dias de viagem (Foto: Mayara Corrêa/G1)

O grupo de brasileiros que ficou preso em uma montanha na Argentina por conta de um desmoronamento de pedras voltou para casa no início da tarde de sábado (28). A excursão desembarcou em Sorocaba (SP) na praça Pio XII, no bairro Santa Rosália, sob forte emoção e alívio. Tanto os turistas como os familiares que os aguardavam não conseguiram conter as lágrimas.

A viagem com destino a Machu Picchu, no Peru, durou 21 dias. Durante a passagem por uma montanha na província de Jujuy, Argentina, os turistas ficaram 26 horas presos entre duas barreiras, já que a estrada por onde seguiam ficou intransitável com pedras e enxurrada pelo meio do caminho.

A falta de comunicação com a família e de detalhes do que realmente havia acontecido deixou o grupo apreensivo. O citytour pela montanha das Sete Cores deveria encerrar em quatro horas, por isso os turistas não levaram alguns medicamentos de uso contínuo, nem comida e água.

A professora Tamiris Castro Santos conta que o grupo conseguiu comprar queijo e salame de uma motorista argentina que também ficou parada aguardando socorro. “Mas à noite foi desesperador, achei que fosse morrer porque uma outra avalanche poderia acontecer.”

Tamiris viajou acompanhada dos pais e avós e conta que ficou nervosa quando viu o vilarejo alagado. “Chorei muito”, diz. Entre o grupo um dos mais aliviados era o agente de viagens Edvaldo do Carmo, responsável por levar o grupo ao Peru. Há 15 anos no mercado, conta que nunca viveu algo parecido.

Turistas ficaram 26 horas presos em montanha na Argentina  (Foto: Mayara Corrêa/G1)Turistas ficaram 26 horas presos em montanha na Argentina (Foto: Mayara Corrêa/G1)

“É muito emocionante voltar, a gente sai e não imagina que uma coisa dessas vai acontecer. Graças a Deus voltamos bem”, afirma. Uma das cenas que mais chamou a atenção de Edvaldo foi o carro arrastado pela lama que continua no mesmo lugar. “O Exército prioriza o socorro aos moradores desabrigados, montaram até um acampamento.”

Edvaldo do Carmo registrou momentos do passeio nas ruínas (Foto: Arquivo pessoal)Edvaldo do Carmo afirma que nunca passou por
nada parecido (Foto: Arquivo pessoal)

Cerca de 20 minutos antes da avalanche o grupo parou em uma feira de artesanato, o que segundo o agente de viagens salvou a vida de todos. “Esse lugar foi muito destruído, então quando a defesa civil nos encontrou, viu que era melhor ficar lá em cima mesmo, porque estávamos mais seguros do que no vilarejo.”

Ainda impactada com tudo o que viu, a vendedora Lucia Elena Faria comparou a tragédia que aconteceu na Argentina com o rompimento da barragem em Mariana, Minas Gerais. “Ficou tudo coberto por lama e água, igual Mariana, só dava pra ver o telhado, o topo das máquinas. Só depois vimos o risco que corremos”, explica. Nos momentos de maior apreensão os brasileiros se reuniram dentro do ônibus para fazer orações. “Passamos horas difíceis, mas depois foi só alegria”, conta o aposentado Astrogildo Corrêa.

Turistas ficaram parados na Argentina após desmoronamento de pedras (Foto: Edvaldo do Carmo/Arquivo Pessoal)Pedras e enxurrada fecharam estrada onde os turistas estavam (Foto: Edvaldo do Carmo/Arquivo Pessoal)

Fonte: G1 – Brasileiros voltam de viagem depois de susto em montanha na Argentina – notícias em Sorocaba e Jundiaí

%d blogueiros gostam disto: